Daniel Melim: Reconstrução

07.ago

31.out.21

As pinturas de Daniel Melim estão impregnadas por situações e personagens urbanos que circulam nas grandes metrópoles: trabalhadores, donas de casa, crianças, anônimos diversos, entre outros tipos humanos. São figuras retiradas tanto da observação do real quanto do imaginário simbólico disseminado pela indústria cultural na sociedade. Utiliza nas suas pinturas o gestual e a geometria; a figuração e a abstração; a reprodução pelo estêncil; o desenho e a pincelada manual; o muro e a tela; o ativismo e a arte.

Suas figuras humanas, insistentemente presentes nas telas – às vezes, em primeiro plano –, são contornos, padrões corporais, linhas que delineiam o vazio. Opostamente ao vazio interno das figuras, o ambiente que as circunda é um caleidoscópio de cores, formas variadas, relações cromáticas, áreas tingidas, manchas, respingos, grafismos, letras, números, sinais, símbolos.

A linguagem cinematográfica e a HQ marcam as pinturas de Melim, seja nos murais ou nas telas. A escala do cinema perpassa o conjunto da obra deste artista. Ele mergulha nos filmes de diversas épocas, mas principalmente dos anos 50-70, para recuperar valores e signos.

Miguel Chaia

 

Imagem: Daniel Melim. “Ser”, 2017. Foto © Sylvia Sanches

Galeria de imagens