FestFoto 2019

27.abr

23.jun.19

A 12a edição do Festival Internacional de Fotografia de Porto Alegre – 27 de abril a 26 de maio de 2019 – aborda a produção fotográfica contemporânea relacionada às dispersões populacionais e conflitos identitários, envolvidas tanto em problema de disputas de nacionalidades e etnias quanto no âmbito de dilemas pessoais. A dita crise põe em cheque a ideia de identidade como instância fixa, apontando para formatos mais fluídos e flutuantes. No trânsito do tornar-se, a localização não ocorre por uma referência prévia e predeterminada, mas pela reconstrução e transformação de identidades históricas herdadas de um suposto passado comum. A ideia do híbrido se impõe como realidade na produção de referências nacionais, raciais e étnicas se é que estes conceitos ainda são úteis como descrição da realidade contemporânea e de formas identitárias que não são mais integralmente nenhuma das originais, embora tenha traços delas.

Para dar conta do tema, a curadoria do Festival organizou os trabalhos em três eixos temático: deslocamentos e diásporas de populações por fatores políticos, econômicos ou crises ambientais; o híbrido como resultado do contato e resistência entre pessoas; a reconfiguração de sentidos pela dispersão de imagens.

A exposição coletiva de fotografias em grandes dimensões reunirá obras de artistas brasileiros e estrangeiros, selecionados a partir da visita e participação dos curadores em eventos internacionais. Entre os destaques, teremos o projeto Humanae, da artista carioca radicada na Espanha, Angelica Dass, e Paisagem Movediça, de Bruno Bernardi, sobre o deslocamento dos moradores do distrito de Bento Ribeiro, em Mariana (MG) provocado pelo rompimento da barragem da Samarco-Vale, e Patagônia em Conflito, projeto em andamento do argentino Pablo Piovano sobre as disputas pela propriedade de terra no território do povo Mapuche. A mostra também apresenta casos emblemáticos de deslocamentos humanos como o êxodo dos africanos no chamado Genocídio em Ruanda, fotografado por Américo Mariano na década de 90. O caso recente dos colombianos, que após duas décadas de guerra interna, buscam no uma chance de prosperidade em Antofogasta (Chile), também será apresentado pelo fotógrafo chileno Cristian Ochoa no ensaio Sueño Sudamericano.

A programação expositiva é composta ainda, pelos 20 finalistas do Fotograma Livre, concurso internacional promovido pelo FestFoto e LensCulture, com a exibição de seus trabalhos em formato digital e impressos. O concurso recebeu inscrições de artistas e fotógrafos de 19 países e tem como objetivo estimular o desenvolvimento da linguagem fotográfica multimídia e ampliar o intercâmbio entre os países. O concurso foi vencido pelo Coletivo VEO, formado por Bruno Crocianelli (Argentina), Flavio Edreira (Brasil), Eleonora Ferri (Itália), Jean-Matthieu Gosselin (França), Maria Munzi (Argentina), Ullic Narducci (Itália), Nathalie Vigini (Suíça). No trabalho Veinte Pequeños Azulejos Grises, o grupo armou um mosaico para explorar a ideia de dispersão embutida no conceito de diáspora