Iberê e Porto Alegre – No andar do tempo

Organização

Eduardo Haesbaert e Gustavo Possamai

12.mar

31.jul.22

Concebida para celebrar os 250 anos de Porto Alegre, comemorados no dia 26 de março de 2022, a exposição toma emprestado o título do livro de contos de Iberê: No andar do tempo: 9 contos e um esboço autobiográfico.

Mudando-se do interior do Rio Grande do Sul para Porto Alegre, em 1936, foi nesta cidade que o artista realizou a sua primeira mostra e onde conheceu a companheira de toda a sua vida, Maria Coussirat Camargo. Foi aqui, também, que cultivou grandes amizades e realizou suas últimas obras. Mesmo no período em que morou no Rio de Janeiro (1942-1982), Iberê manteve um ateliê ativo em Porto Alegre, cidade que visitava seguidamente para encontrar amigos e trabalhar, sempre inquieto na sua trajetória de artista.

A exposição apresenta um recorte do acervo da Fundação Iberê e propõe um passeio pelo olhar do artista expresso em suas obras, por alguns locais significativos de Porto Alegre, desde o Rio Guaíba, passando pela Cidade Baixa até o centro da cidade, incluindo a Ponte de Pedra, o Parque da Redenção, a Usina do Gasômetro e o pôr do sol.

Charles Monteiro, professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e pesquisador das transformações da cidade, contribui com pequenos verbetes, contextualizando e trazendo à imaginação os ambientes da época.

 

Conversa sobre a exposição “Iberê e Porto Alegre – No andar do tempo”
Dia 14/03/2022, no Instituto Ling

Imagem: Iberê Camargo. Sem título, c.1942. Foto © Rômulo Fialdini.

Galeria de imagens