Spider (Aranha)

18.maio

28.jul.19

Depois de permanecer por pouco mais de duas décadas abrigada em regime de comodato ao lado do Museu de Arte Moderna, no Parque Ibirapuera, em São Paulo, Spider, da artista francesa Louise Bourgeois, que integra a Coleção Itaú Cultural, chega pela primeira vez ao Rio Grande do Sul para uma temporada de dois meses na Fundação Iberê.

A parceria com o Itaú Cultural vem de longa data, e foi retomada em maio de 2018 com a exposição Moderna para Sempre – Fotografia Modernista Brasileira na Coleção Itaú Cultural, um recorte de 144 obras fotográficas de importantes artistas do movimento modernista brasileiro, dos quais 60 nunca haviam estado antes em Porto Alegre. Agora, a Fundação Iberê tem a honra de receber a famosa aranha gigante de Bourgeois. A escultura é um “autorretrato” da infância da artista, de seus traumas e a relação com a mãe, a quem considerava sua melhor amiga e alguém que a protegeu de diversas formas.

Bourgeois (França, 1911 – Estados Unidos, 2010) cresceu em um ateliê de restauro de tapeçarias. Com a morte da mãe, em 1932, a jovem abandonou os estudos em matemática para transformar suas experiências em uma linguagem visual altamente pessoal, por meio do uso de imagens mitológicas e arquetípicas, adotando objetos como espirais, gaiolas, ferramentas médicas e as famosas aranhas para simbolizar a psique feminina, a beleza e a dor psicológica. Spider tem mais de 3 metros de altura em bronze e está equilibrada em oito pernas, com terminações que remetem à agulha e ao bordado.

“A aranha é protetora, a nossa protetora contra os mosquitos. […] A outra metáfora é que a aranha representa a mãe. A minha mãe era a minha melhor amiga. Ela era inteligente, paciente, tranquilizadora, delicada, trabalhadora, indispensável e, sobretudo, ela era tecelã – como a aranha. Para mim, as aranhas não são aterradoras.” [Louise Bourgeois: Sculptures, Environnements, Dessins, 1938-1995]

Spider reafirma a nossa parceria com a Coleção Itaú Cultural e o nosso compromisso de trazer a Porto Alegre o que há de mais instigante e inquieto na arte moderna no Brasil e no mundo. As aranhas de Bourgeois já passaram por países como Alemanha, Argentina, Bélgica, Canadá, Coreia do Sul, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Inglaterra, Japão, México, Qatar, Rússia, Suíça e Estocolmo.

 

Imagem: Louise Bourgeois. Spider (Aranha), 1996. Itaú Cultural. Foto © Edouard Fraipont

Galeria de imagens