Unânime noite – Volume 3

03.fev

08.abr.18

Um corpo desaparecido, uma paisagem amorfa, uma zona atemporal, um palimpsesto, uma linguagem ininteligível, algumas pistas e diversos objetos disfuncionais operando em um espaço multidimensional.

(uma exposição em eterna mudança)

***

Alguns pontos de partida…

1) um jogo: Cadáver Esquisito;

2) um conto: As Ruínas Circulares, de J. L. Borges;

3) um livro: O Jogo da Amarelinha, de Julio Cortázar;

4) e ainda um outro livro: B e/ou um Guia de Exposição na Busca por sua Exposição, de Valentinas Klimasauskas; e

5) uma exposição que sempre existiu e nunca irá acabar; uma exposição que muda sua forma através do espaço e do tempo; uma exposição que existe física e mentalmente; uma exposição em busca de um autor.

Bernardo José de Souza

 

Imagem: Vista parcial da exposição “Unânime noite”, que esteve em cartaz na Fundação Iberê Camargo de 03 de fevereiro a 08 de abril de 2018. Foto © Nilton Santolin

Galeria de imagens