Fundação Iberê recebe três indicações ao Prêmio Açorianos de Artes Plásticas

30.ago.21

A Fundação Iberê foi indicada ao XIV Prêmio Açorianos de Artes Plásticas em três categorias: Destaque Curadoria e Destaque Publicações/Impressa, pela exposição “Iberê Camargo – O Fio de Ariadne” e seu respectivo catálogo, e Destaque Acervos, pelo projeto em parceria com o Google. Os vencedores serão anunciados em setembro.

A Fundação é uma das pioneiras no Brasil e a única no Rio Grande do Sul a participar do Google ​Arts ​& ​Culture. Durante a quarentena imposta pelo coronavírus, publicou todo o seu acervo, além de matrizes para gravuras, provas de estado e centenas de obras de Iberê Camargo que se encontram em coleções particulares e estrangeiras, totalizando mais de 5 mil itens. No país, apenas o Projeto Portinari (RJ) possui um volume tão expressivo de obras na plataforma.

“Iberê Camargo – O Fio de Ariadne” foi uma das três exposições que reabriu a Fundação, em setembro de 2020, depois de um período fechada em função da pandemia. Em abril deste ano, a exposição seguiu para o Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, expandindo assim a presença da instituição no Brasil.

Com curadoria de Denise Mattar e de Gustavo Possamai (que organizou também o catálogo da mostra e o projeto do Google), a exposição apresentou em Porto Alegre 37 cerâmicas e 7 tapeçarias de grandes dimensões, obras que não eram expostas há cerca de 40 anos e que estão espalhadas em coleções públicas e particulares.

O catálogo da mostra inclui textos de Denise Mattar, Andrea Giunta, Blanca Brites, Maria Amélia Bulhões e Paula Ramos, além das obras expostas e depoimentos de uma seleção de mulheres que marcaram a trajetória do artista.

O passeio de Iberê pelas cerâmicas e tapeçarias
Durante as décadas de 1960 e 1980, Iberê Camargo realizou trabalhos em cerâmica e tapeçaria. Eles respondiam a uma demanda do circuito de arte, herdada da utopia modernista que preconizava o conceito de síntese das artes; uma colaboração estreita entre arte, arquitetura e artesanato. Com assessoria técnica das ceramistas Luiza Prado e Marianita Linck, o artista realizou um conjunto de pinturas em porcelana com resultados surpreendentes. Ele também selecionou um conjunto de cartões que foram transformados por Maria Angela Magalhães em impactantes tapeçarias.

A mostra foi complementada por uma cronologia ilustrada, apresentando algumas das mulheres que marcaram presença na vida de Iberê, por meio de fotos, biografias e depoimentos: a esposa Maria Coussirat Camargo; as artistas Djanira, Regina Silveira e Maria Tomaselli; a tapeceira Maria Angela Magalhães; as ceramistas Luiza Prado e Marianita Linck; as gravadoras Anna Letycia, Anico Herskovits e Marta Loguercio; a escritora Clarice Lispector; a galerista Tina Zappoli; a produtora cultural Evelyn Ioschpe; a cantora Adriana Calcanhotto e a atriz Fernanda Montenegro.

Para saber mais sobre a exposição “Iberê Camargo – O Fio de Ariadne”, clique aqui.

Para saber mais sobre o projeto em parceria com o Google, clique aqui.