Educativo

O programa educativo da Fundação Iberê Camargo tem como objetivo principal aproximar a população deste espaço cultural, a fim de constituir e formar um público que tenha acesso às diferentes linguagens artísticas, em especial, as artes visuais.

O programa promove o estudo e a divulgação da obra de Iberê Camargo e busca aproximar o público da arte moderna e contemporânea. Desenvolve materiais e atividades para professores e alunos, assim como pessoas com necessidades especiais. Atua na formação de mediadores e novos profissionais para o campo da arte. Realiza visitas mediadas e técnicas, oficinas, encontros de orientação para educadores e publicação de materiais didáticos. São propostas também atividades de artes integradas e debates sobre temas ligados à arte e à cultura.

A Fundação, com seu programa educativo, pretende consolidar este espaço como um importante polo de formação cultural, de debates sobre arte e educação e de inserção de tecnologias criativas na produção artística.

24.nov-24.nov.19
15:00-16:30
Educativo

Você conhece a história da boneca Abayomi e as narrativas ela que pode nos trazer?

Em contraponto a uma sociedade na qual perde-se o hábito de contar histórias orais, olho no olho, propõe-se um encontro para resgatarmos essa tradição há muito esquecida. A boneca Abayomi, de origem afrodiaspórica, evoca narrativas.

Nesta oficina, iremos relacionar contos africanos com esse objeto afetivo e simbólico de travessia, do feminino e história oral.

Atividade indicada para todas as idades.

Data: 24 de novembro, às 15h
Inscrição: gratuita! 

23.nov-23.nov.19
15:00-16:00
Educativo

Qual é a cor da literatura infantil?

Nos livros infantis, os personagens, cenários, enredos e mistérios mudam. No entanto, ao pararmos para escolhermos um livro na biblioteca ou na livraria, as crianças representadas são predominantemente de uma única cor, brancas. Qual é o poder que a repetição de uma referência estética única têm na construção de sujeitos?

A representatividade constrói indivíduos mais autônomos, conscientes e felizes consigo mesmo e se faz cada vez mais urgente para a consolidação da valorização da cultura negra. Por isso, convidamos as educadoras para participarem da roda de conversa com Fernanda Bastos, escritora e repórter de Porto Alegre.

Fernanda Bastos é poeta, jornalista e editora. Em 2018, lançou Dessa Cor” (Figura de Linguagem, 2018), que está em sua segunda edição. Desde 2018 é editora-geral da Figura de Linguagem, casa editorial da qual é uma das fundadoras juntamente com o escritor e crítico literário Luiz Mauricio Azevedo. É colunista do portal Literatura RS e da rádio web Salve Sintonia. Trabalha como repórter na TVE. É mestranda em Comunicação e Informação (PPGCOM/Ufrgs) e tem formação em Letras (Ufrgs).

Atividade indicada para professores, educadores e artistas.

Data: 23 de novembro, às 15h
Inscrições: gratuitas!

15.nov-15.nov.19
16:00-17:00
Educativo

Atenção: obra de arte no caminho!

Encontrar uma obra: prestar atenção no caminho, suspender o juízo. Observar aquilo que emerge da superfície. Você já reparou em tudo que uma obra de arte pode nos fazer pensar, sentir, provocar, desacomodar?

Nesta visita mediada utilizaremos o material educativo proposto pela Bienal de São Paulo e vivenciar as exposições em cartaz na Fundação Iberê de outra forma. Convidamos você a se permitir estar atento!

Atividade indicada para todas as idades. Crianças menores de 12 anos deverão estar acompanhadas pelos responsáveis.

Data: 15 de novembro, sexta-feira
Inscrições: gratuitas e no local.

17.nov-17.nov.19
15:00-16:30
Educativo

E se o desenhar pudesse dançar? E se o corpo fizesse um desenho dançando?

Na oficina Desenhança, as crianças poderão fazer os dois: desenhar e dançar ao mesmo tempo! O desenho como um momento divertido e cheio de descobertas, em que não há certo ou errado, feio ou belo.

A dança como parte do processo de criação, que ativa o corpo numa atmosfera de jogo e brincadeira, cooperação e consequentemente, alegria. A atividade é gratuita e voltada para crianças de 4 a 10 anos. Vem desenhançar na Fundação Iberê!

Atividade indicada para crianças de 4 a 10 anos.

Data: 17 de novembro, das 15h às 16h30
Inscrições: gratuitas!

 

Foto: Gabriella Ferreira

16.nov-16.nov.19
14:30-18:30
Educativo

Na oficina introdutória do Movimento SINERGIA, iremos expandir a energia criativa que se estabelece na fotografia de movimento e compreender em conjunto as relações que nela se evidenciam. Com abordagens tanto teóricas quanto práticas, exploraremos as questões centrais que envolvem esta confluência artística, integrando dinâmicas de consciência corporal aos estudos imagéticos e apresentando estratégias para mergulharmos nas diversas possibilidades lúdicas desta experiência.

Ao final, proporcionamos um espaço livre de criação, de forma a dar liberdade para que os participantes absorvam as técnicas apresentadas e pesquisem seus próprios métodos e linguagens. É por acreditarmos na potência da empatia, da criatividade e da arte enquanto modo de reexistência que desenvolvemos esta proposta. Vamos experienciar juntos?

Materiais: Câmeras ou celular com bateria para as fotos.
Venha com roupas confortáveis para o movimento.

SINERGIA é um projeto de arte-educação cuja proposta é desvendar em coletivo as múltiplas relações entre imagem e movimento. A premissa é de que a junção desses dois universos resulta na criação de um terceiro, em que imperam a empatia, a expressão potencializada e a percepção sensível. Nessa abordagem, o corpo é o recorte máximo – o instrumento e o assunto. Sendo ele a moldura pela qual experienciamos a realidade, os cursos e oficinas se apoiam na educação somática, de forma a oferecer uma compreensão integral das disposições motoras para posteriores desdobramentos criativos. Por ser a figura originária que nos conecta enquanto espécie, o corpo humano também é o objeto de estudo imagético: utilizando fotografia e vídeo como ferramentas de criação artística, são apresentadas técnicas e estratégias para aderir significado e potência estética na linguagem visual de cada participante. A câmera acaba por ser um dispositivo conector e transdimensional, capaz de expandir o espaço-tempo em que ocorrem os atos performáticos. Do instante presente, migra-se para todo o sempre.

Atividade indicada para jovens e adultos a partir dos 16 anos.

Data: 16 de novembro, das 14h30 às 18h30
Inscrições: gratuitas!

 

Foto: Weslley Ávila

10.nov-10.nov.19
15:00-17:00
Educativo

O Laboratório do Rolê é um projeto de artistas e bailarinas de Porto Alegre que leva a dança contato improvisação para fora da sala de práticas. Através da proposição de aulas de contato improvisação e jams (momento de prática livre), a ideia é gerar o encontro da dança com pessoas, em lugares, situações e oportunidades não-usuais.

Contato improvisação é uma prática de dança contemporânea criada nos Estados Unidos na década de 1970. Tem como base o contato físico entre duas ou mais pessoas e se vale do diálogo entre os corpos para a criação de uma dança improvisada. Através disso, com os movimentos, quedas, energia cinética e escuta do corpo abrem-se inúmeras possibilidades. Pode ser praticado por qualquer pessoa, de qualquer idade e condição física.

Pela segunda vez o Laboratório do Rolê aterrissa na Fundação Iberê para dançar os espaços, mover o corpo em meio às obras de arte, celebrar o corpo e encontrar a comunidade.

Sobre o Laboratório do Rolê: é um projeto de artistas e bailarinas de Porto Alegre que leva a dança contato improvisação para fora da sala de práticas e ao encontro das pessoas. Formado por Krishna Daudt, Janaína Ferrari, Roberta Fofonka, Naiana Wink, Leonardo Takazono e Guadalupe Rausch.

Atividade indicada para todas as idades.

Data: 10 de novembro, das 15h às 17h
Inscrições: gratuitas!